Hiperatividade na criança

Hiperatividade na criança é uma das perturbações mais frequentes na atualidade, sendo caraterizada principalmente por uma agitação motora e uma falta de concentração.

Existe muita informação sobre este tema disponível online, mas que não é totalmente correta nem está claramente explicada.

Antes de mais existe a designação Hiperactividade que não é o conceito correto a utilizar, o nome da perturbação é Perturbação da Hiperatividade e Défice de Atenção – PHDA.

O termo hiperatividade é apenas uma parte da perturbação que se refere a agitação motora. A PHDA está divida em 2 grupos de sintomas de distinguem o tipo de PHDA que estamos perante.

O termo Défice de Atenção como o próprio nome indica refere-se a um conjunto de caraterística de falta de atenção, a hiperatividade refere-se à agitação motora e impulsividade.

Uma criança pode ter PHDA – Hiperativa ou PHDA- predominantemente desatenta.

As caraterísticas mais comuns na PHDA – Hiperativa:

PHDA-HIPERATIVIDADE

  • Agitação motora
  • Não conseguir esta no mesmo lugar muito tempo
  • Não consegue esperar pela sua vez
  • Fala excessivamente

As características mais comuns na PHDA – Predominantemente desatenta:

PHDA-DEFICE DE ATENÇAO

  • Não realiza uma tarefa ate ao fim
  • Salta de tarefa em tarefa
  • Não presta atenção
  • Distrai-se com qualquer coisa por mais banal que seja

Se estas características lhe parecerem familiares consulte um psicólogo ou um psiquiatra. Pode sempre procurar ajuda perto do seu medico de família, mas o ideal é procurar alguém com experiência e conhecimento especifico na área.

O diagnóstico desta perturbação é complicado de fazer, não é tao simples como parece.
Existem outros fatores que tem de ser analisados e estudados antes de diagnosticar estas crianças.

Uma das principais dificuldades de diagnostico está em conseguir separar o que é patológico de o que é normal. Se olhar bem para as características acima estas servem muito bem para definir qualquer criança.

Perceber se o comportamento agitado de uma criança acontece devido a sua idade ou é um sintoma de alguma perturbação é difícil, o que leve a muitos erros e maus diagnósticos.

Como pais devem sempre procurar uma segunda opinião sempre que na primeira consulta, seja com que profissional de saúde for, o seu filho for diagnosticado com PHDA. É necessário avaliar o comportamento da criança em vários cenários como por exemplo o escolar.

O tratamento nestes casos passa sempre por medicação. Existe um preconceito quanto a esta medicação talvez devido a má informação proveniente de más fontes, é necessário que os pais percebam que se o diagnostico for bem feito a medicação é necessária para a tratar a criança e para ela ter uma vida normal. Nos últimos anos tem surgido n um tratamento alternativo que se chama “NeuroFeedBack”, que tem apresentados resultados eficazes no tratamento não só da PHDA mas também de outras patologias.

A função dos pais é estar a atento a estes sintomas e se suspeitar que algo não esta bem consulto um psicólogo ou alguém com formação não pediátrica.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *